5.12.07

Musgo, 2007




Andamos tão endrominados
Por um cara de cu peçonhento
Que passamos o Natal acabrunhados
A chorar sobre o vencimento.

O pior é que não há tomates
Nesta nação de coreto

Para curar tantos dislates
Com um sonoro levantamento.



Texto apócrifo, Dezembro 2007

2 comentários:

M. disse...

Não percebo, J.... conhecemo-nos há tantos milénios e nunca tinha percebido o poeta que existe dentro de ti... tens explicação? Gosto muito dos teus versos em geral;) e do "apócrifo", em particular...

João disse...

...and there's a lot more where that came from. And, oh, you can call me Vlad, dear Lucy.

Arquivo do blogue