11.11.11

Sirva-se à vontade, compadre!


"Armando Vara respondia às perguntas de um dos assistentes, que quis saber se, à semelhança de Manuel Godinho, que lhe ofereceu robalos e pão-de-ló de Ovar, houve reciprocidade e também ele ofereceu algum presente.

'Acho que lhe ofereci uma caixa de alheiras', respondeu Vara, quando novamente interpelado pelo assistente, que pretendeu saber como é que, desconhecendo a visita de Manuel Godinho nesse dia, como havia afirmado, tinha as alheiras preparadas para lhe entregar. 

Nesse dia, contou Vara, era habitual receber visitas em Vinhais e as alheiras eram para as pessoas que aparecessem, como foi o caso de Manuel Godinho, com quem insistiu para ficar para almoçar."

“Questionado pelo juiz Raul Cordeiro, que preside ao colectivo de juízes que está a julgar o caso, sobre as prendas que recebeu de Manuel Godinho, Vara confirmou ter recebido apenas uma caixa de robalos e duas caixas de pão-de-ló, por altura da Feira do Fumeiro em Vinhais, e um equipamento do clube do Esmoriz, para o filho.”

E um dia se provará que a D. Rosalina transferiu uns milhares de pacotes de rosquinhas de azeite para a conta do Duarte Lima e matou-se quando este lhe revelou que preferia biscoitos de leite. Do mesmo modo que os documentos descobertos num compartimento oculto na casa de Dias Loureiro não passavam de queijos de Castelo Branco e de um par de presuntos da Beira, cujo intenso cheiro o ex-conselheiro de Estado se viu obrigado a abafar. Embora a revelação mais chocante venha a ser de que Isaltino padece de uma grave dependência de enlatados tradicionais, nomeadamente sardinhas em molho de escabeche, com o eventual relapso por lulas em tomate, o que, como toda a gente sabe, gera acções irreflectidas e concede inimputabilidade. E por aí fora. Já se disse tudo e mais alguma coisa sobre este país, mas nada lhe assenta melhor do que o epíteto “tasca”. 

(Obrigado, J.)

1 comentário:

Steve Finnell disse...

you are invited to follow my blog

Arquivo do blogue