10.11.08

Biografia a sete pés

No início havia o verbo: "berrar".

Depois, uma forma única de expressar apreço pelo mundo que o recebia:

"Cocó!". Substantivo adjectival.

Aos 9 anos, sofre um trauma irremediável: os seus pais mascaram-no de cowboy no Carnaval. É preso pela GNR à saída da papelaria, loja de brinquedos e sortidos Labesmal.

No dia seguinte, o Diário de Abrantes dá destaque ao anão gatuno, apanhado em flagrante com uma Abelha Maia e um Topo Gigio em PVC no coldre.

Foge do Ribatejo depois de partir um taco de minigolfe nas costas do irmão do meio e, aos 13 anos, ganha a vida em feiras e bares como profissional de danças exóticas, sempre munido de um gorro de campino.

A juventude é marcada pela inadaptação. A idade adulta pelo amadurecimento. Já não atira objectos cortantes.

Ansioso por encontrar o seu lugar e por aprender a manejar um taco de golfe com destreza, alista-se nos Pequenos Burgueses.

Muda de rumo mas não de ramo. Emprega-se numa empresa séria e espera que a mudança ocorra. Com ou sem Obama.

2 comentários:

M. disse...

Eu diria que és um entrevistador nato... se o golfe não der resultado, avisa... compramos bilhete para o Havai. Aloha!

João disse...

Ok. Mas primeiro vamos a Manchester.

Arquivo do blogue